Uma Mensagem "Comemorativa"

Esta mensagem foi postada por um dos responsáveis pelo Mentes Bereanas no dia 2 de outubro de 2014:

Em 2 de outubro de 1914, numa manhã de sexta-feira, Charles Russell, que na época estava na liderança da obra dos Estudantes da Bíblia, entrou no refeitório do Betel de Brooklyn, Nova York, EUA, e disse todo animado: “Bom dia a todos.” Daí, antes de se sentar, anunciou com alegria: “Os tempos dos gentios terminaram; seus reis já tiveram o seu dia.” - Extraído de A Sentinela de 01/11/2007, página 24.

Há exatos 100 anos, Charles Taze Russell e os Estudantes da Bíblia, como eram conhecidas as Testemunhas de Jeová naquela época, esperavam ainda naquele ano que os santos fossem glorificados e levados para o céu para governar com Jesus e que os governos humanos fossem removidos em prol de um governo teocrático durante o Milênio. Tal expectativa não só mostrou-se falsa, mas foi posteriormente “reciclada” por Joseph F. Rutherford (sucessor de Russell na presidência da Torre de Vigia), com uma série de eventos invisíveis, espirituais, ligados aos anos de 1914, 1918 e 1919. Esta “reciclagem”, com pequenos ajustes, ainda faz parte da doutrina das Testemunhas de Jeová.

Talvez nem mesmo as próprias Testemunhas de Jeová se deem conta de que as afirmações sobre 1914, de forma conjunta, são o mais importante pilar doutrinário da Torre de Vigia. Baseados na parábola bíblica do “joio e o trigo”, e em alguns eventos históricos relacionados à própria Torre de Vigia, esta afirma que, a partir de 1914, Jesus Cristo, ao iniciar o seu reinado celestial, fez uma inspeção espiritual em todas as denominações que afirmavam ser cristãs, aprovando, no início de 1919, os Estudantes da Bíblia associados à Torre de Vigia como os verdadeiros cristãos (veja A Sentinela de 15/07/2013, páginas 9-14). Sendo assim, comprovar o equívoco histórico e bíblico das afirmações da Torre de Vigia sobre a data 1914, conduz a um “efeito dominó”, derrubando uma a uma todas as alegações desta a respeito da “inspeção espiritual” nos anos posteriores. Consequentemente, caem por terra o conceito das Testemunhas de Jeová como única organização aprovada por Cristo, a infalibilidade de seu peculiar arcabouço doutrinário e, especialmente, a autoridade “concedida por Deus” ao Corpo Governante.

Precisamos ter em mente quão nefastos são os efeitos das crenças relacionadas a 1914. Por honestamente crerem que estavam na verdadeira organização de Deus, inspecionada e aprovada por Cristo, muitos se submeteram ao controle que a Torre de Vigia exerce sobre seus membros, desperdiçando tempo valioso de suas vidas. Quantas crianças não tiveram a singela alegria de comemorar seu aniversário, quantas oportunidades de estudo jovens perderam, quantos bons empregos homens adultos recusaram, quantas jovens envelheceram sem um cônjuge, quantos casais abriram mão de ter filhos, quantos pais se afastaram de seus filhos desassociados, tudo para atender às doutrinas da Torre de Vigia? Além do mais, o que dizer das Testemunhas de Jeová que foram presas, torturadas e até mortas por caprichos do Corpo Governante, como no caso do país africano do Malaui, nas décadas de 1960 e 1970? E as milhares de pessoas que morreram por recusar transfusões de sangue, graças a uma interpretação absurda do capítulo 15 dos Atos dos Apóstolos?

Por mais de 10 anos, os leitores do Mentes Bereanas tem encontrado ampla evidência sobre os graves erros doutrinários, históricos e bíblicos relacionados a 1914. Porém, nesta significativa data, não daremos prioridade a fazer novos artigos questionando tais erros. Hoje gostaríamos de estender nossa solidariedade, nossos corações e nossas orações a estes milhões de pessoas que tiveram sua vida indelevelmente afetada pelos ensinamentos da Torre de Vigia. Esperamos que um dia elas possam se sentir como aqueles homens em Emaús, que reconheceram apenas pelos ensinos seu Mestre ressuscitado: “Porventura não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as Escrituras?” (Lucas 24:32, ACF). Que o coração destes bons homens e mulheres venha a “arder” pelo verdadeiro ensinamento do Cristo!