Quem Somos

MENTES BEREANAS é um site cristão independente (sem conexão com uma igreja ou movimento religioso institucionalizado).

Seus responsáveis reconhecem apenas um Deus verdadeiro, o Pai, que é conhecido há vários milênios pela humanidade por diversos nomes, tais como Iavé ou Jeová. Creem em Jesus como Filho de Deus, como único intermediário entre Ele e os homens e no valor de sua morte sacrificial. Esforçam-se em seguir o exemplo da vida dele e em defender seus ensinos, apresentados claramente na Bíblia.

Porém, muito mais importante do que as pessoas envolvidas é a própria informação. 1“Sejam menos curiosos a respeito das pessoas, e mais curiosos com relação às ideias.” — Marie Curie (1867-1934) Por isso, incentiva-se que os leitores conheçam o conteúdo publicado e entrem em contato de maneira amigável, se assim desejarem.

Objetivo

A discussão pública de assuntos que envolvam Deus e a Bíblia exige muito critério; não é algo que deva ser encarado levianamente. (Compare isso com as palavras de Cristo em Mateus 12:36). A mesma responsabilidade é requerida dos que leem essas matérias e refletem sobre elas. Quem divulga as informações tem por obrigação prestar atenção ao que está dizendo e quem examina as informações deve necessariamente testar a validade delas. A ampla difusão do engano religioso no mundo atual deveria conscientizar todos os envolvidos da importância desse assunto.

O relato bíblico sobre os bereanos (Atos 17:10,11) estabelece o modelo. O exame cuidadoso à luz das Escrituras que eles faziam das coisas que ouviam, longe de ser falta de fé ou questionamento inútil, era na verdade o reflexo de uma mentalidade “nobre”; um exercício apropriado da liberdade que Cristo concede aos seus seguidores. Em relação a qualquer informação que se apresente como originária de Deus, os escritores deste site procuram aderir ao exemplo deles e incentivam todos os leitores a fazer o mesmo. Os seguidores de qualquer instituição religiosa fariam bem em ter em mente os princípios que estão por trás destes pronunciamentos.

No site, apresentam-se artigos de colaboradores e também artigos e publicações de eruditos bíblicos (associados ou não com algum movimento religioso cristão) que evidenciem profunda reverência pelas Escrituras. Não é a intenção patrocinar ideias pessoais ou sectárias, e muito menos conceitos que nada tem que ver com as Escrituras, e sim apresentar informação bíblica de qualidade, que promova o crescimento espiritual e sentimentos nobres. Embora existam questionamentos de doutrinas aceitas por milhões de pessoas e de muitas religiões do mundo, essas contestações são sempre colocadas de maneira respeitosa, atendo-se ao campo das ideias e nunca visando a difamar pessoas ou instituições que as defendam.

É importante frisar a última declaração do parágrafo anterior porque certas lideranças religiosas não admitem qualquer questionamento de seus ensinos. Ao longo da história algumas chegaram até a estabelecer tribunais inquisitoriais com poder de aplicar punições, incluindo a excomunhão de membros, classificando-os como “hereges” ou “apóstatas” por terem questionado ensinos fundamentais da instituição. (Entre os exemplos mais notórios temos a Igreja Católica na Idade Média e a organização Torre de Vigia [a entidade dirigente das Testemunhas de Jeová] na atualidade.) Esta situação é lamentável, pois os que estão mais qualificados para discutir em alto nível certos assuntos com as lideranças de qualquer igreja são os seus próprios associados, havendo entre eles eruditos bíblicos que estão cientes de diversas questões desconsideradas ou suprimidas.

Os editores deste site não se submeteram a esse tipo de julgamento arbitrário em algum tribunal religioso desautorizado por Deus. E ao empreenderem o trabalho de divulgar essas informações fazem uso de sua liberdade cristã, exercida de maneira responsável. As pessoas das mais diversas formações religiosas são igualmente livres para examinar os assuntos, já que certas questões aqui discutidas são comuns a muitas associações religiosas, sendo de preocupação para os membros esclarecidos delas.

Acima de tudo, o desejo de todos os contribuintes é que o trabalho desenvolvido aqui enalteça, não a homens, e sim ao Soberano Senhor do universo, sendo uma voz em defesa da Palavra dele e uma contribuição para a edificação cristã de todas as pessoas que o acessarem.

_______________________________

Créditos das Imagens:

No alto: Ecce Homo (“Eis o homem”),  Antonio Ciseri, 1871 — Galeria degli Uffizzi, Florença, Itália.

Embaixo: Última cena do filme Jesus de Nazaré, Franco Zefirelli, 1977. (Texto: Mateus 28:20).