"O Povo Mais Feliz da Terra"?

CITAÇÕES

1) Revista A Sentinela de 1º de fevereiro de 1960 (em inglês) pág.74, parágrafo 17:

“Agora as testemunhas de Jeová são abençoadas acima de todos os demais porque elas são as pessoas mais felizes, mais pacíficas e mais contentes da terra.”

2) Revista A Sentinela de 1º de setembro de 1962 (em inglês), pág.530, parágrafo 22:

“Na Sociedade do Novo Mundo das Testemunhas de Jeová, você encontra pessoas de todas as rodas da vida, muitas das quais não possuem diplomas dos centros de educação humanos; no entanto, estas pessoas conhecem a Bíblia, elas são instrutores. Elas aceitam avidamente a obrigação de ensinar a outros a Palavra de Deus. Fazem isso ano após ano com o mesmo amor a Deus e apreciação pelo alimento espiritual como quando elas o provaram pela primeira vez. Eles são as pessoas mais felizes e pacíficas da terra.”

3) Revista A Sentinela de 1º de abril de 1971, pág. 212, parágrafo 21:

“Não é possível encontrar um grupo mais feliz e mais contente de pessoas na face da terra, hoje em dia, do que os pioneiros, os missionários, os servos de Betel — os trabalhadores de tempo integral de Deus!”

4) Revista A Sentinela de 15 de março de 1972, pág. 180, parágrafo 22:

“Todos os que procuram um lugar na sociedade da humanidade remida chegam a ter assim associação com o povo mais feliz da terra — as Testemunhas de Jeová. São o único povo que sabe com certeza para onde vão.”

5) Revista A Sentinela de 1º de agosto de 1975, pág. 476, parágrafo 21:

Os mais felizes na terra são os do povo de Jeová, e estes são principalmente dos pobres no que se refere às coisas que o mundo preza muito.”

6) Revista Despertai! de 22 de abril de 1975, pág. 27:

“Esta tia era uma das testemunhas de Jeová e eu realmente achava que ela fora tapeada por sua religião. Chegando na casa dela, comecei a lhe fazer muitas perguntas... O que realmente me impressionou foi a felicidade que ela expressava ao responder minhas perguntas à base da Bíblia. As respostas faziam sentido. Aprendi que, apesar de meu proceder muito mau, pela bondade imerecida e misericórdia de Deus, poderia tornar-me parte de seu povo, o povo mais feliz que já conheci.” [Declarado por um ex-traficante de entorpecentes dos Estados Unidos, que se tornou Testemunha.]

7) Revista A Sentinela de 15 de agosto de 1980, pág. 8, parágrafo 1:

“Do ponto de vista da Bíblia Sagrada, os atuais celebrantes são israelitas espirituais, e eles mostram ser as pessoas mais felizes na face da terra.”

8) Revista A Sentinela de 1º de março de 1988, pág. 17:

“Realmente, em todos os países, o povo de Jeová é o melhor e o mais feliz!” [Declarado por um membro do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, já falecido.]

9) Revista A Sentinela de 1º de março de 1989, pág. 3:

“Contudo, os verdadeiros ministros de Deus não têm apenas deveres e requisitos a cumprir, mas também muitos privilégios. De fato, como grupo, são os mais privilegiados, os mais bem-sucedidos e, de longe, o grupo mais feliz que hoje existe na terra, como verá no artigo seguinte.”

10) Revista A Sentinela de 1º de maio de 1993, pág. 21, parágrafo 24:

“Esses trabalhos amorosos fazem com que os da classe do escravo sejam o povo mais feliz hoje na Terra, e tornam também milhões de outros felizes.”

11) Periódico Nosso Ministério do Reino, fevereiro de 1994, pág. 5 parágrafo 16:

“Somos o povo mais feliz da face da Terra, sabendo que ‘ao sermos aprovados receberemos a coroa da vida’.”

12) Revista A Sentinela de 15 de janeiro de 1995, pág. 12 parágrafo 7:

“Nossa relação íntima com Jeová faz com que sejamos o povo mais feliz na terra. Antes de nos tornarmos cristãos, fazíamos parte da sociedade humana injusta que está ‘mentalmente em escuridão e apartada da vida que pertence a Deus’.”

13) Revista A Sentinela de 1º de maio de 1997, pág. 23:

“Os mensageiros da paz divina são as pessoas mais felizes hoje na Terra.”

14) Revista A Sentinela de 1º de outubro de 1999, págs. 6, 7:

“Embora os cristãos ‘chorem’ por causa das condições do mundo... eles são realmente as pessoas mais felizes no mundo.

15) Revista A Sentinela de 1º de outubro de 1999, pág. 8 parágrafo 13:

“Naturalmente, que os servos de Jeová ‘choram’ por causa do estado lastimável dos assuntos do mundo não impede que se sintam felizes. Ao contrário! Na realidade, são o grupo mais feliz de pessoas na Terra.”

16) Periódico Nosso Ministério do Reino, fevereiro de 2002, pág. 1 parágrafo 1:

“Feliz o povo cujo Deus é Jeová!” (Sal. 144:15) Essas palavras descrevem as Testemunhas de Jeová como o povo mais feliz da Terra.”

17) Brochura Boas Notícias de Deus para Você! (2012), lição 14 parágrafo 7:

“Mas as Testemunhas de Jeová são mais do que uma religião. Nós somos uma família que tem um Pai muito amoroso. Somos irmãos e irmãs que cuidam um do outro. (2 Tessalonicenses 1:3) Essa é a família mais feliz da Terra porque é o povo que faz a vontade de Deus e ajuda as outras pessoas.”

 

COMENTÁRIO

É claro que não se questiona que existem pessoas felizes entre os seguidores da religião Testemunhas de Jeová. Assim como em qualquer outra agremiação de pessoas no mundo, certamente há pessoas contentes lá. O que é preciso ser examinado é outra coisa: se essa imagem brilhante que as declarações e as gravuras das publicações procuram transmitir sobre a organização religiosa está de acordo com os fatos.

É verdade que nenhuma das publicações acima afirmou que as Testemunhas têm a exclusividade nisso, porém, afirma-se taxativamente que a felicidade delas está num nível muito acima de todos os demais da humanidade. Elas são “o único povo que sabe com certeza para onde vão” e são “de longe, o grupo mais feliz que hoje existe na terra”. Até os leitores que não tem formação específica em Psicologia ou Psiquiatria poderão perceber, logo de início, que estas afirmações pecam pela excessiva generalização!

Assim, são cabíveis as seguintes perguntas para reflexão:

 

1 - Baseiam-se as afirmações acima em estudos estatísticos objetivos? Ou elas nada mais são que conclusões pessoais do seguidor ou do líder da organização religiosa que emitiu a declaração?

2 – No caso dos que são realmente felizes, decorre essa felicidade necessariamente do fato de estarem associados com esta religião específica ou tal felicidade é uma característica pessoal deles? Será que não haveria qualquer possibilidade de tais pessoas serem igualmente felizes em outros grupos?

 

PARA SABER MAIS

Aos leitores que tiverem interesse numa análise mais aprofundada dessas afirmações sobre o tema “felicidade” que constam nas publicações da Torre de Vigia, indicamos o artigo Uma Promessa Atraente, Não Cumprida.