O Corpo da Ressurreição

“Mas alguém pode perguntar: “Como ressuscitam os mortos? Com que espécie de corpo virão?” (1 Coríntios 15:35)

Assim como os cristãos de Corinto de muito tempo atrás, hoje nós perguntamos – e às vezes discordamos – sobre os detalhes da ressurreição. Vamos examinar atentamente o que Paulo escreveu em resposta a estas duas perguntas no trecho de 1 Coríntios 15:36-46: 

“Insensato! O que você semeia não nasce a não ser que morra. Quando você semeia, não semeia o corpo que virá a ser, mas apenas uma simples semente, como de trigo ou de alguma outra coisa. Mas Deus lhe dá um corpo, como determinou, e a cada espécie de semente dá seu corpo apropriado. Nem toda carne é a mesma: os homens têm uma espécie de carne, os animais têm outra, as aves outra, e os peixes outra. Há corpos celestes e há também corpos terrestres; mas o esplendor dos corpos celestes é um, e o dos corpos terrestres é outro. Um é o esplendor do sol, outro o da lua, e outro o das estrelas; e as estrelas diferem em esplendor umas das outras. Assim será com a ressurreição dos mortos. O corpo que é semeado é perecível e ressuscita imperecível; é semeado em desonra e ressuscita em glória; é semeado em fraqueza e ressuscita em poder; é semeado um corpo natural [1] e ressuscita um corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual. Assim está escrito: "O primeiro homem, Adão, tornou-se um ser vivente" [2] ; o último Adão, espírito vivificante. Não foi o espiritual que veio antes, mas o natural; depois dele, o espiritual. 

Vamos fazer uma pausa aqui, para dar atenção especial às partes sublinhadas: 

Quando você semeia, não semeia o corpo que virá a ser / Deus lhe dá um corpo, como determinou / Assim será com a ressurreição dos mortos. / é semeado um corpo natural e ressuscita um corpo espiritual / Não foi o espiritual que veio antes, mas o natural; depois dele, o espiritual. 

Com base nisso, podemos perceber que uma pessoa não tem dois corpos ao mesmo tempo, um físico e um espiritual [3] ; nem tem um corpo espiritual antes do corpo físico. O corpo "semeado" na morte é um corpo físico, carnal. O corpo da ressurreição é um dado por Deus, conforme a ‘determinação’ dele.

Onde os cristãos passarão a eternidade? Hebreus 10:19, 20 nos informa: 

“Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo.”

Como os cristãos deverão viver no céu [4] , o reino do espírito, eles precisam de corpos espirituais, não de corpos físicos. Seus corpos físicos não são ressuscitados. De acordo com isso, Paulo escreveu em 2 Coríntios 5:1: 

“Sabemos que, se for destruída a temporária habitação terrena em que vivemos, temos da parte de Deus um edifício, uma casa eterna no céu, não construída por mãos humanas.”

 

Jay Dicken 

 

(Traduzido com permissão do autor. Todas as referências bíblicas são da Nova Versão Internacional.)

 

NOTAS:



[1] A palavra grega é psuchikos.

[2] Ou “alma vivente”. A palavra grega psuche é freqüentemente traduzida por alma. No entanto, a forma adjetiva psuchikos é traduzida como físico ou natural. Neste versículo, uma "alma vivente" está sendo colocada em contraste com um "espírito vivificante." Com base nisso, podemos ver que a "alma" não é um corpo espiritual no interior do nosso corpo carnal, um conceito que é derivado realmente do paganismo.

[3] A palavra “espiritual” tem dois sentidos para os cristãos. Um sentido, o que está sendo utilizado neste estudo, é uma dimensão da existência, o reino do espírito, o reino de Deus e dos anjos, diferente do mundo físico ou material, no qual vivem os seres humanos e os animais. O outro sentido refere-se a um relacionamento com Deus por meio de Jesus Cristo. Neste sentido, pode-se falar de um cristão como sendo uma pessoa espiritual, mesmo que o corpo dele ainda seja de carne e sangue. Veja Romanos 8:5-9, 14.

[4] Nota do tradutor: De fato, em muitos textos a Bíblia dá ampla margem para a idéia defendida neste estudo, a saber, a esperança de vida no céu para pessoas cristãs que em algum momento viveram como humanos na terra. Quanto a isso, não há dúvida. Mas, permanecem algumas questões: É a vida no céu algo que ocorre automaticamente após a ressurreição de todos os cristãos? É isso que todos os cristãos devem esperar? O que dizer das diversas ressurreições relatadas na Bíblia? Embora essas pessoas tenham por fim morrido novamente, não é um fato que elas retornaram num corpo carnal? E, se todos os cristãos deverão viver no céu, qual seria o destino final do planeta Terra? Diz a Bíblia em algum lugar que ele será destruído? Como podemos harmonizar essa idéia com textos tais como o Salmo 37:29, Isaías 45:18, Mateus 5:5 e outros? 

É verdade também que a Bíblia fala em “uma só esperança” para os cristãos. Mas qual é exatamente esta esperança que ela oferece? Em Tito 1:2, lemos: 

“... fé e conhecimento que se fundamentam na esperança da vida eterna, a qual o Deus que não mente prometeu antes dos tempos eternos.” 

Portanto, o que se promete para as pessoas fiéis é a vida eterna. (Veja também João 3:16) Em vez de gastarmos tempo debatendo acirradamente a questão de “onde” é que cada pessoa viverá, e apontando erros na esperança de outros cristãos, é sábio deixar isso sob a jurisdição daquele que concede essa grandiosa dádiva da vida eterna, o próprio Deus. 

(Para mais informações, veja o artigo “Vida Eterna na Terra?”, disponível no Mentes Bereanas. Existe também uma pequena discussão sobre isso no folheto As Testemunhas de Jeová e a Celebração da Morte de Cristo – Parte 7)