Crêem as Testemunhas de Jeová Que Só Elas Serão Salvas?

 

5

‘Só as Testemunhas de Jeová Serão Salvas?’ – As Respostas Oficiais

 

1 - A Sentinela de 15 de outubro de 1970, págs. 630, 631:

 

 

Crêem as testemunhas de Jeová que elas serão salvas?

 

As testemunhas de Jeová crêem que a sua obra é de salvação. Por que se empenhariam nela se acreditassem que não há esperança para outros? Têm a certeza de que a misericórdia de Deus se estenderá a muitas espécies de pessoas. O apóstolo Paulo declarou que Deus vai ressuscitar até mesmo os “injustos”. (Atos 24:15) Por isso, as testemunhas de Jeová crêem que se salvarão muitos que agora não são testemunhas de Jeová.

 

Mas, com respeito à vindoura “grande tribulação” e a passar a salvo através deste conflito, a Bíblia mostra que as pessoas precisam agora voltar-se para Deus e tomar sua posição ao lado dele, se quiserem ter a proteção dele. Jesus disse: “Assim como eram os dias de Noé, assim será a presença do Filho do homem. . . . não fizeram caso, até que veio o dilúvio e os varreu a todos, assim será a presença do Filho do homem.” (Mat. 24:21, 37-39) Noé e sua família, porém, passaram a salvo através do Dilúvio, porque serviam a Jeová Deus. Todos os outros foram destruídos. Jesus disse que isto é o que acontecerá na vindoura “grande tribulação”, e as testemunhas de Jeová crêem nisso.

 

 

Temos aqui um exemplo clássico de como uma única palavra pode mudar drasticamente o sentido dum texto. Numa primeira leitura, poderíamos concluir facilmente que estes dois parágrafos não estão afirmando de jeito nenhum que as Testemunhas crêem que só elas serão salvas. Repitamos agora as duas frases grifadas, com um sublinhado adicional:

“... as testemunhas de Jeová crêem que se salvarão muitos que agora não são testemunhas de Jeová.”

“... as pessoas precisam agora voltar-se para Deus e tomar sua posição ao lado dele, se quiserem ter a proteção dele.”

Repitamos novamente ambas, mas desta vez excluindo a palavra “agora”:

“... as testemunhas de Jeová crêem que se salvarão muitos que não são testemunhas de Jeová.”

“... as pessoas precisam voltar-se para Deus e tomar sua posição ao lado dele, se quiserem ter a proteção dele.”

Será que há algum problema com as duas frases depois dessa pequena alteração? Estão elas expressando alguma ideia errada? O objetivo da resposta não é justamente provar que as Testemunhas de Jeová não crêem que só elas serão salvas? E não é verdade que voltar-se para Deus e tomar posição ao lado dele é – e sempre foi – necessário para ter a proteção dele?

Por que razão, então, o escritor dessa Sentinela achou necessário acrescentar a palavra “agora” em ambos os parágrafos? A resposta a isso é fácil: Ele não poderia deixar essa palavra de fora, senão contradiria frontalmente o ensino da organização, que inclusive está sendo expresso em ambos os parágrafos, ainda que duma maneira um tanto obscura.

O primeiro parágrafo faz referência à obra de pregação das Testemunhas de Jeová, que elas realizam de porta em porta. Toda Testemunha sabe muito bem que o objetivo primordial desse trabalho é encaminhar pessoas à organização (que as publicações dizem que é a “única que sobreviverá ao fim”). Algumas pessoas que não são Testemunhas de Jeová agora poderão vir a sê-lo depois, em resultado dessa pregação delas. É por isso mesmo que o parágrafo a chama de “obra de salvação”. Caso as pessoas não venham para a organização, não serão salvas, e sim destruídas no Armagedom. Percebe-se facilmente que se a imprescindível palavra “agora” fosse eliminada do parágrafo, todo o raciocínio por trás do que ele está dizendo cairia imediatamente por terra.

No caso do segundo parágrafo, toda Testemunha de Jeová sabe perfeitamente o que a organização entende por “voltar-se para Deus e tomar posição ao lado dele”. Será possível encontrar uma só publicação onde a liderança da Torre de Vigia admita que alguém que no presente momento não é Testemunha de Jeová está ‘posicionado ao lado de Deus e aprovado por Ele’? Se refletirmos bem, caso não houvesse qualquer ‘sentido organizacional’ nessa frase “voltar-se para Deus e tomar posição ao lado dele”, e ela estivesse sendo entendida pelo que realmente significa, não haveria a mínima obrigatoriedade de inserir essa palavra “agora”.

2 - Brochura As Testemunhas de Jeová no Século Vinte (publicada originalmente em 1978), pág. 29:

 

 

Acreditam [as Testemunhas de Jeová] que são os únicos a serem salvos?

 

Não. Milhões dos que viveram nos séculos passados, que não eram Testemunhas de Jeová, voltarão na ressurreição e terão a oportunidade de viver. Muitos dos que agora vivem ainda poderão tomar posição a favor da verdade e da justiça, antes da “grande tribulação”, e estes obterão a salvação. Outrossim, Jesus disse que não devemos julgar uns aos outros. Nós vemos a aparência; Deus examina o coração. Ele vê com precisão e julga com misericórdia. Confiou o julgamento a Jesus, não a nós. — Mateus 7:1-5; 24:21; 25:31.

 

Esta resposta foi repetida nas edições de 1979 e de 1989 da mesma brochura, e depois repetida novamente numa outra brochura, intitulada Testemunhas de Jeová  Quem São? Em Que Crêem?, publicada em 2000. [1] Tanto quanto se sabe, este é o único pronunciamento no qual a liderança da Torre de Vigia negou que acredita nisso com relação à salvação das pessoas do mundo de hoje. Tendo em vista o que dizem todas as publicações citadas até agora, como foi que eles conseguiram responder “Não” a esta pergunta, sem qualquer hesitação?

O artifício usado foi ampliar a abrangência do assunto, incluindo os “milhões que viveram nos séculos passados” na resposta. Esta manobra de despistamento é facilmente identificável, já que a pergunta foi se “as Testemunhas de Jeová acreditam que são os únicos a serem salvos”. A organização Torre de Vigia só surgiu no cenário mundial em fins do século 19 e a religião só passou a se chamar assim em 1931. A razão de esses “milhões que viveram nos séculos passados” não serem Testemunhas de Jeová é que esta organização religiosa simplesmente não existia até fins do século 19 e não havia nenhuma religião com esse nome até 1930. Será que este jogo de palavras demonstra respeito pela inteligência dos leitores, principalmente aqueles que estão cientes destes fatos históricos?

Quanto às afirmações acerca de Jesus e Deus, no final do parágrafo, foram também acrescentadas com o único propósito de desviar a atenção dos leitores do verdadeiro ensino da organização. É claro que as declarações, em si, são corretas, mas será que a liderança da organização dá evidência de que acredita nisso? Logo antes delas, aparece a seguinte frase:

“Muitos dos que agora vivem ainda poderão tomar posição a favor da verdade e da justiça, antes da “grande tribulação”, e estes obterão a salvação.”

O único trecho do parágrafo onde a pergunta está sendo efetivamente respondida é o acima, já que ele trata das pessoas que vivem agora, no mesmo momento em que existem Testemunhas de Jeová. O objeto da pergunta foi realmente o posicionamento das Testemunhas de Jeová em relação às pessoas que vivem no momento atual. Não foi perguntado sobre algum período nos “séculos passados”, quando não existiam Testemunhas de Jeová, e ninguém sabia nada sobre esta religião. A questão é, novamente: O que vem a ser “tomar posição a favor da verdade e da justiça”, no entendimento da Torre de Vigia? Muitas publicações poderiam ser citadas para esclarecer isso facilmente. Como representativa destas, a revista A Sentinela de 1º de agosto de 1972, pág. 455, diz:

“Quando alguém tem profundo amor à justiça, pode tomar posição a favor da verdade bíblica apesar de provável adversidade. Isto se deu com um engenheiro na Alemanha Oriental. Numa reunião do partido comunista, ele disse aos colegas que iria renunciar como membro. Interrogado sobre o motivo, respondeu corajosamente que iria tornar-se Testemunha de Jeová.”

Acaso existe uma só publicação da Torre de Vigia que coloque a possibilidade de alguém “tomar posição a favor da verdade e da justiça” sem se tornar Testemunha de Jeová? Será que a liderança da organização já admitiu alguma vez essa possibilidade no caso de quem quer que seja na face da terra? Portanto, o que as brochuras citadas realmente disseram não foi nada menos do que isto:

‘Muitos dos que agora vivem ainda poderão tornar-se Testemunhas de Jeová, antes da “grande tribulação”, e estes obterão a salvação.’

Onde está a coerência em afirmar que ‘Deus é quem examina o coração’ e ‘Ele confiou o julgamento a Jesus’, mas ao mesmo tempo especificar um conceito que se entende aplicar-se unicamente a 0,1% da humanidade, excluindo-se todos os demais? Está essa publicação abrindo alguma margem para que alguém seja salvo, sem se tornar Testemunha de Jeová antes da “grande tribulação”, talvez porque “não teve a oportunidade (seja qual tenha sido o motivo) de entrar nessa arca” ounão pôde pertencer à organização por algum motivo”? Que “motivo” seria esse? E por que esta publicação (ou qualquer outra da Torre de Vigia) não apresenta isso como uma possibilidade clara? Será que esta publicação (ou qualquer outra) está afirmando ou mesmo sugerindo que o julgamento de Cristo e a leitura do coração por Deus para determinar a salvação ou não de alguém, só se aplicam aos “casos omissos”, daquelas pessoas que ‘não puderam entrar na arca de Noé’ organizacional, por algum motivo não especificado, supostamente além do controle delas?

O que dizer do artigo da Sentinela de 2008, que foi apresentado como ‘mais esclarecedor’ pela Testemunha de Jeová que entrou em contato com o Mentes Bereanas? Segue-se a transcrição:

3 - A Sentinela de 1º de novembro de 2008, pág. 28 (com grifos acrescentados):

 

 

As Testemunhas de Jeová acreditam que elas serão salvas?

 

As Testemunhas de Jeová acreditam que encontraram a religião verdadeira. Se não acreditassem, elas mudariam de religião. Assim como os membros de muitas religiões, as Testemunhas de Jeová esperam ser salvas. No entanto, também acreditam que não cabe a elas julgar quem será salvo. No fim das contas, Deus é o Juiz. É ele quem decide. — Isaías 33:22.

 

A Palavra de Deus revela que os que serão salvos não devem apenas querer a salvação, mas também cooperar com o Salvador. Para ilustrar: suponhamos que alguém se perca numa região bem isolada e queira desesperadamente encontrar o caminho de volta. Se ele vai morrer ali ou sobreviver depende de como reage à ajuda. Por orgulho, ele poderia recusar a ajuda de um resgatador ou salvador ou poderia humildemente aceitar ajuda e sair são e salvo dessa situação.

 

De modo similar, apenas os que cooperam com o Resgatador da humanidade, Jeová Deus, é que serão salvos. A salvação é uma dádiva de Deus, mas nem todas as pessoas a obterão. Jesus, o Filho de Deus, disse: “Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus.” — Mateus 7:21.

 

As Testemunhas de Jeová acreditam que Deus salva apenas os que exercem fé no sacrifício de resgate de Jesus e seguem de perto os Seus ensinamentos. (Atos 4:10-12) Vejamos três requisitos importantes para a salvação revelados na Palavra de Deus.

 

(1) “Por meio disso saberão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor entre vós”, disse Jesus aos seus seguidores. (João 13:35) O próprio exemplo de Jesus em dar sua vida a favor de outros enfatiza a importância do amor. Os que amam outras pessoas estão demonstrando uma qualidade essencial para a salvação.

 

(2) “Eu lhes tenho dado a conhecer o teu nome”, disse Jesus em oração ao seu Pai. (João 17:26) Jesus sabia que o nome pessoal de Deus, Jeová, era muito importante para o seu Pai. Ele orou para que o nome de seu Pai fosse “santificado”. (Mateus 6:9) Santificar o nome de Deus inclui conhecer esse nome e tratá-lo como importante e santo. Assim como Jesus, os que procuram a salvação precisam usar o nome de Deus. Eles também precisam ensinar outros a respeito do nome e das qualidades de Deus. (Mateus 28:19, 20) Na verdade, apenas os que invocam o nome de Deus serão salvos. — Romanos 10:13.

 

(3) “Meu reino não faz parte deste mundo”, disse Jesus a Pôncio Pilatos. (João 18:36) Poucas pessoas hoje demonstram fé no Reino, ou governo, de Deus, do qual Jesus é Rei. Em vez disso, confiam em instituições humanas. Em contraste com isso, os que serão salvos apóiam lealmente o Reino de Deus e falam a outros a respeito de como esse Reino libertará toda a humanidade fiel. — Mateus 4:17.

 

Depois de aprender alguns dos requisitos para a salvação, os discípulos de Jesus disseram: ‘Quem é capaz de ser salvo?’ Jesus respondeu: “As coisas impossíveis aos homens são possíveis a Deus.” (Lucas 18:18-30) As Testemunhas de Jeová fazem o máximo para viver à altura desses requisitos para a salvação. Também se esforçam para ajudar outros a ser salvos.

 

 

Realmente não há necessidade de extensos comentários sobre o conteúdo deste pronunciamento. Pois em essência, ele está dizendo – e com muitas palavras – o mesmo que todas as publicações que já foram citadas disseram: que as Testemunhas de Jeová – e apenas elas – serão salvas. Esta afirmação só poderia ser desmentida se fosse possível encontrar uma única publicação da Torre de Vigia que diga – ou sequer dê a mínima margem à possibilidade – de alguém estar ‘cooperando com o Resgatador da humanidade, Jeová Deus’ ou ‘exercendo fé no sacrifício de resgate de Jesus e seguindo de perto seus ensinamentos’ no mundo de hoje, ‘amando as pessoas’, e ‘invocando o nome de Deus e apoiando o Reino dele’, sem estar na condição de Testemunha de Jeová. Encontrar uma publicação que apresente uma ideia assim é uma tarefa deveras ingrata.

Muito mais fácil é encontrar, não só uma, mas muitas publicações, e que não apenas sugerem, mas dizem claramente que todos estes mesmos requisitos grifados no pronunciamento acima se aplicam às Testemunhas de Jeová – unicamente a elas e a ninguém mais. Apresenta-se aqui uma delas, escolhida aleatoriamente, antes de finalizarmos a consideração deste tópico:

 A Sentinela de 15 de janeiro de 1997, pág. 22:

“No entanto, como se pode identificar os que são o povo organizado de Deus? Segundo as normas especificadas nas Escrituras, eles têm verdadeiro amor entre si, têm profundo respeito pela Bíblia, honram o nome de Deus, pregam o Reino dele e não fazem parte deste mundo iníquo. (Mateus 6:9; 24:14; João 13:34, 35; 17:16, 17) Há apenas uma só organização religiosa na Terra que possui todos esses marcos do verdadeiro cristianismo — as Testemunhas de Jeová! [O itálico é deles.] [2]

O que existe de comum nas três respostas oficiais da Torre de Vigia que foram consideradas neste tópico é que nenhuma delas usou termos tais como “apenas”, “único(a)”, “essencial”, “a menos que”, “somente” e outros semelhantes, associando tais termos diretamente com as Testemunhas de Jeová e sua organização. Em vez disso, esses termos foram conectados com conceitos organizacionais expressos de maneira vaga. É perfeitamente compreensível e até desculpável que uma pessoa de fora da organização, ou mesmo uma Testemunha de Jeová recém-convertida não entenda imediatamente o que está sendo dito. Para isso ela precisaria, antes de qualquer outra coisa, conhecer melhor as publicações da organização e saber o que a liderança está querendo dizer com cada um destes conceitos. Repreensível (para não dizer deplorável) é alguém que entende muito bem esses conceitos insistir teimosamente que houve, sim, alguma mudança efetiva na doutrina da Torre de Vigia referente ao assunto da salvação.

Em se tratando das três respostas consideradas neste tópico, pode-se até afirmar que ‘o tom mudou’, ‘antes o assunto era apresentado de modo incisivo, mas agora é mais brando’, ou algo parecido. Independentemente da maneira como alguns queiram entender esses pronunciamentos, há uma realidade que ninguém pode negar, por mais que queira: Nada do que foi dito nestas respostas contradiz uma só palavra do que foi afirmado em todas as declarações citadas antes deste tópico. A verdade é simplesmente esta: o conceito ensinado pela organização sobre a salvação das pessoas de hoje não foi mudado em absolutamente nada.

 

 

Folheto Sua Vingança (1934)

Livro Religião (1940)

 



[1] Esta é também a resposta oficial que a organização apresenta até hoje nos meios de comunicação pública. A informação que aparece no momento num site oficial da organização é a seguinte: Tradução do Site Oficial de Mídia das Testemunhas de Jeová: "Acreditam que são os únicos a serem salvos? Não. Muitos milhões dos que viveram nos séculos passados, que não eram Testemunhas de Jeová, voltarão na ressurreição e terão a oportunidade de viver. Muitos dos que agora vivem ainda poderão tomar posição a favor da verdade e da justiça, antes do tempo do julgamento de Deus, e estes obterão a salvação. Outrossim, Jesus disse que não devemos julgar uns aos outros. Humanos vêem a aparência; Deus examina o coração. Ele vê com precisão e julga com misericórdia. Confiou o julgamento a Jesus, não a nós." [Grifos acrescentados.]

 Em inglês: http://www.jw-media.org/aboutjw/article32.htm#saved

Em português: http://www.watchtower.org/t/jt/article_08.htm

[2] Alguém poderia argumentar que esta revista só está colocando o assunto em termos globais, afirmando que a organização das Testemunhas de Jeová é a única que possui ‘o conjunto completo’ de “todos esses marcos do verdadeiro cristianismo”. Ou seja, haveria a possibilidade de alguma outra organização religiosa ou então um cristão não associado à Torre de Vigia estar cumprindo pelo menos um dos “requisitos para a salvação”. O exame dos escritos da Torre de Vigia deixa claro que não se dá qualquer margem, nem mesmo para isso. Toda a mensagem das publicações é consistentemente que as Testemunhas de Jeová – só elas e ninguém mais – cumprem cada um desses ‘‘requisitos” isoladamente. Tratando, por exemplo, do nome de Deus, A Sentinela de 1º de dezembro de 1992, afirmou na pág. 17: Dentre todas as organizações que afirmam ser cristãs, apenas as Testemunhas de Jeová tanto pensam no Seu nome como o magnificam entre as nações.” Não há ambigüidade aqui: ‘Nenhum grupo cristão na terra pensa no nome de Deus, nem o magnifica – só as Testemunhas de Jeová.’ Declarações taxativas similares a esta podem ser encontradas – e com muita freqüência – na literatura da Torre de Vigia, para cada um dos requisitos que esta organização apresenta como “importantes para a salvação”.