'Examinem Tudo, Fiquem Com o Que é Bom'

A cultura e a educação desempenham um papel importante no desenvolvimento integral do ser humano. De fato, aprender e crescer intelectualmente são direitos inalienáveis de cada pessoa. Tanto é que isso é apresentado como objetivo primordial no Artigo 26 da Declaração Universal dos Direitos Humanos:

Artigo XXVI

1. Toda pessoa tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnico-profissional será acessível a todos, bem como a instrução superior, esta baseada no mérito.

2. A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos, e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz.

3. Os pais têm prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos.

Não se deve temer, pois, ter acesso ao conhecimento, tanto por acessar diversas fontes de informação, como por empreender estudos universitários. Não há motivo para renunciar à necessidade de aumentar o conhecimento, nem à luz que ilumine o espírito humano. Porém, tudo isso é possível sem termos de renunciar à fé cristã.

No contexto bíblico, há muitos comentários que podem enriquecer com novas perspectivas os trechos e textos da Bíblia. Segundo as Escrituras, é um dever cristão “avançar à madureza” e embora se deva reconhecer que o conhecimento intelectual não é tudo o que existe para atingir esse objetivo, é fato que ele pode ajudar. Até mesmo Paulo de Tarso encorajou seus amigos da cidade de Tessalônica (Grécia):

Examinem tudo, fiquem com o que é bom.” – 1 Tessalonicenses 5:21 (Nova Tradução na Linguagem de Hoje)

 

Esteban López