Quem São os Verdadeiros Cristãos?

Entre os muitos milhares de grupos cristãos que existem, qual é o genuinamente cristão?

Esta pergunta se baseia no conceito errôneo de que deve haver um só grupo de cristãos verdadeiros que esteja separado de todos os outros grupos falsos. É isso o que ensina a Bíblia?

A resposta é dada pelo próprio Jesus em sua parábola do trigo e do joio (Mat. 13:24-30, 36-43). Como mostra esta parábola, Jesus Cristo plantou a "semente excelente" - os filhos do reino (versículo 38). Entretanto, ele sabia que "o inimigo" (o Diabo, conforme o versículo 39) plantaria por cima "sementes" - os filhos do iníquo - entre o "trigo" no "campo" - o mundo, (versículo 38). Mas ele não permitiria que seus servos recolhessem o joio, 'para que não acontecesse que ao reunirem o joio, arrancassem também o trigo'. "Deixai ambos crescer juntos até a colheita." (versículos 29, 30).

De modo que, diz esta parábola algo a respeito de um só grupo "genuinamente cristão"? Ora, a parábola mostra mais claramente que não haveria apenas um grupo de cristãos verdadeiros separados de todos os outros grupos de cristãos falsos. Somente haveria cristãos individuais, verdadeiros e falsos. Cristãos verdadeiros e falsos existiriam juntos no mesmo mundo de cristãos, mesclados, assim como o trigo e o joio no mesmo campo.

Note que seria na "colheita" - na "terminação do sistema de coisas" (versículo 39) -, que os anjos, não os servos ou seguidores de Cristo, removeriam o "joio" do "reino" - o mundo de cristãos -, e juntariam "o trigo" no "celeiro" de Cristo (versículos 40-43, 30).

Por mais de setenta anos, a organização Torre de Vigia ensinou que desde 1919 as Testemunhas de Jeová, sob a supervisão dos anjos, estiveram separando o "trigo" do "joio" por meio de sua obra de pregação, ou para usar a linguagem de outra das parábolas relacionadas, estiveram separando as "ovelhas" dos "cabritos." (Mat. 25:31-46). Mas em 1995, na Sentinela de 15 de outubro, páginas 22 e 23, a Torre de Vigia finalmente admitiu que essa aplicação era incorreta, explicando que a separação das "ovelhas" e dos "cabritos" não ocorreria até o dia do juízo, na futura vinda de Cristo! A realidade é que é assim que a maioria dos cristãos tem entendido estas parábolas através dos séculos (veja Jonsson/Persson, O Sinal dos Últimos Dias - Quando?, 1987, pág. 228, nota 35 - em inglês).

Esta mudança doutrinal ilustra mais uma vez quão transitória é a assim chamada "verdade" da Torre de Vigia! Parece que poucas Testemunhas de Jeová se deram conta do importante alcance desta reinterpretação. Se as Testemunhas de Jeová não estiveram "separando as ovelhas dos cabritos" durante os setenta anos anteriores, sua atividade de testemunhar não foi tão crucial para a humanidade como lhes haviam dito que acreditassem. Assim como outros grupos cristãos, eles estiveram atraindo para sua organização "toda espécie" de pessoas, tanto justas como iníquas (veja a parábola da rede de pesca, Mateus 13:47-51).

A organização Torre de Vigia não só reuniu todo tipo de pessoas dentro de sua organização, tanto justas como iníquas, mas também expulsou a todo tipo de pessoas, tanto justas como iníquas, contrário ao aviso do amo na parábola (versículo 29). Fez isto, não só por meio da expulsão de pessoas por razões que freqüentemente foram muito arbitrárias, mas também por meio de rejeitar a todos os outros cristãos fora de sua organização e por afirmar ser o único grupo de cristãos verdadeiros na terra. Nesse sentido ignoraram o mandado do Mestre: "Deixai ambos crescer juntos até a colheita." Somente por esta razão, a organização Torre de Vigia não poderia afirmar ser o único grupo verdadeiro, genuinamente cristão sobre a terra hoje em dia. Não existe esse grupo.

Para "provar" que a organização Torre de Vigia é a única organização cristã sobre a terra hoje em dia, esta afirma que, "de todos os que afirmam ser cristãos, somente as Testemunhas de Jeová tomam a sério a pregação das boas novas." (A Sentinela, 1.º de janeiro de 1988, pág. 20). Esta declaração se refere sobretudo à sua atividade de porta em porta. Mas, prova o uso deste método específico de pregação que esta é a única organização cristã verdadeira, enquanto que outros grupos que usam outros métodos para chegar até as pessoas com sua mensagem não são cristãos?

O fato é que vários grupos cristãos estão crescendo em número de membros, inclusive muitos deles crescem mais rapidamente do que as Testemunhas de Jeová. As publicações da Torre de Vigia deram a seus leitores a impressão de que as outras denominações cristãs e seitas estão minguando em número, que as "águas" de "Babilônia, a Grande" estão "secando-se." (Rev. 16:12 e 17:15) Mas essa impressão é falsa. Embora seja verdade que a maioria das denominações cristãs estiveram minguando nos países do Ocidente (e isto é também verdade no caso das Testemunhas da Jeová hoje em dia nos países ocidentais), houve um tremendo crescimento no número de Cristãos no mundo durante todo o século 20.

Esse aumento ocorreu principalmente no Terceiro Mundo. Como diz David D. Barrett, editor da World Christian Encyclopedia (1982), o Cristianismo chegou a ser a religião mais difundida e universal sobre a terra neste século. Enviam-se cerca de 25.000 missionários cristãos a vários países cada ano (somente 0,4% destes são Testemunhas de Jeová!). A mesma enciclopédia mencionada acima mostra que no princípio do século 20, havia somente 50.000 protestantes na América Latina. Em 1980 havia 20 milhões, e se estimava que esse número cresceria para 100 milhões no ano 2000. Na África havia cerca de 10 milhões de cristãos em 1900. Na década de 1980, o número tinha crescido para 200 milhões - 40 por cento da população do continente! Houve aumentos parecidos em muitos lugares da Ásia. Na Coréia do Sul, por exemplo, havia somente um cristão no início do século 20. Hoje em dia, cerca de 35 por cento da população é cristã.

Um dos grupos cristãos que mais rapidamente cresceu foi o movimento Pentecostal (Assembléias de Deus). Em mais ou menos o mesmo período de tempo em que as Testemunhas aumentaram de 0 para 5 milhões, os Pentecostais aumentaram de 0 para 420 milhões! Este aumento ocorreu em todas as partes do mundo, inclusive em muitas partes do mundo ocidental. Hoje em dia, dos 6 bilhões de pessoas no mundo, cerca de um terço é composto por cristãos.

É muito óbvio para qualquer observador, que nem toda essa quantidade de pessoas é composta por bons cristãos. Em cumprimento da parábola de Jesus, há muito "joio" entre o "trigo". E as Testemunhas de Jeová não são exceção.

Todos estes aumentos ocorreram, não pelo método de porta em porta que usam as Testemunhas de Jeová, os Mórmons ou alguns outros grupos, mas sim por outros métodos. Mas, é o método de pregar o que faz com que certo grupo seja cristão? O fato é que não há nenhuma evidência - bíblica ou de qualquer espécie - que mostre que os primitivos cristãos realizavam algum tipo de atividade de porta em porta. Que até os membros do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová estão mais ou menos à par disso, é demonstrado por um ex-membro desse Corpo Governante, em seu bem documentado livro Em Busca da Liberdade Cristã (1991, págs 207-236, em inglês).

Outro argumento que a organização Torre de Vigia usa para "provar" que é a única organização verdadeira, é o de que as Testemunhas de Jeová recusam-se a matar pessoas em guerras. Isto é, naturalmente, louvável. Mas sua posição não é única, e isto é particularmente verdade desde 1996, ano em que a organização Torre de Vigia decidiu que o serviço alternativo era aceitável (A Sentinela, 1.º de maio de 1996). Várias seitas e denominações se opõem à guerra, como por exemplo, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, os Menonitas, os Quacres, os Cristadelfianos, e vários grupos da Igreja de Deus. Mas o mais importante é que há milhões de cristãos individuais por todo o mundo que se opõem à guerra e que se recusariam a matar outros numa guerra. Eles chegaram a essa posição, não porque seguem os ditames de alguma autoridade religiosa, e sim por sua própria decisão.

Outro aspecto que se costuma mencionar nas publicações da Torre de Vigia é que as Testemunhas de Jeová foram perseguidas e às vezes mortas em certos países. Isto é verdade. Possivelmente a mais forte perseguição às Testemunhas no século 20, foi a que aconteceu durante o regime nazista na Alemanha, quando 2.000 Testemunhas foram mandadas para campos de concentração, 203 das quais foram executadas e outras 600 morreram na prisão devido a enfermidades, desnutrição e outras causas (Anuário das Testemunhas de Jeová de 1975).

Mas as Testemunhas de Jeová não foram as únicas perseguidas no século 20. Os países totalitários perseguiram fortemente a vários grupos cristãos. Na ex-União Soviética, a maioria e, às vezes, todos os grupos cristãos, foram proscritos e perseguidos e, de vez em quando, milhares de cristãos foram mortos em campanhas que tinham o propósito de desarraigar a religião. Em 27 de janeiro de 1996, Vladimir Naumov, chefe da comissão russa para o restabelecimento das vítimas da opressão política, revelou que o Estado Soviético tinha cometido atrocidades contra meio milhão de sacerdotes, 200.000 dos quais foram assassinados durante a época de Stalin! Isto é mil vezes mais do que o número de Testemunhas que foram executadas durante o regime nazista!

Não só os países comunistas totalitários, mas também os países muçulmanos totalitários perseguiram cristãos e proibiram sua atividade. Quando se proibiu ou restringiu a atividade das Testemunhas por parte de governos totalitários, normalmente também foi restringida e proibida a atividade de outros grupos cristãos, embora não leiamos muito a respeito deles nas publicações da Torre de Vigia. De fato, durante o século 20, morreram mais cristãos por sua fé do que em todos os 19 séculos anteriores! Este fato é documentado no livro Lion's Den (Nashville, Tennessee, EUA: Broadman & Holman Publishers, 1997), escrito por Nina Shea, diretora de uma seção da Freedom House. Por isso, a perseguição às Testemunhas de Jeová no século 20, não foi única e muito menos ainda excepcional. Hoje em dia, são raros os casos de perseguição às Testemunhas de Jeová, como de fato reconheceu A Sentinela de 1.º de dezembro de 1998, pág. 8.

Portanto, quem são e onde estão os verdadeiros cristãos hoje em dia? Obviamente, eles têm sido os mesmos durante todos os séculos desde os dias de Jesus, a saber, aqueles que aceitaram a Jesus Cristo como seu Senhor, Redentor e Mestre, e podem ser encontrados em qualquer tipo de associação que prove ser de ajuda para que as pessoas possam levar uma vida cristã.

__________________

 

[O original deste artigo encontra-se na página em inglês do site Kristen Frihet. Carl Olof Jonsson, 1998 - Traduzido por um associado do Mentes Bereanas em 2002.]