Onde a "Grande Multidão" Serve a Deus?

 

Cartas e Fotocópias

 

 

A correspondência apresentada nas páginas seguintes foi trocada com a Torre de Vigia, referente à edição em inglês da Sentinela de 15 de agosto de 1980. Deve-se notar que, embora a Torre de Vigia tenha respondido afirmando que “o ponto 3 do quadro-resumo que aparece na parte inferior da página 15 foi eliminado na tradução deste artigo para idiomas estrangeiros de A Sentinela” para evitar dar uma impressão errônea, este evidentemente não foi o caso. Conforme se pode ver nas fotocópias das edições deste número em francês, alemão e espanhol (mostradas na página seguinte), cada um dos cinco pontos da edição em inglês (veja a página 4 deste folheto) aparecem também, incluindo o terceiro, sobre os cambistas (em francês: “changeurs”; em alemão: “Geldwechsler”; em espanhol: “cambistas”). Esta carta foi escrita aproximadamente 6 meses depois que saíram as edições em francês e alemão e nove meses depois da publicação da edição em espanhol.

 

[NOTA DO TRADUTOR: No caso da edição de A Sentinela em português, porém, este ponto 3 chegou a ser realmente suprimido.]

 

 


 

Tradução da carta: 

Prezados irmãos:

Estou escrevendo a respeito de uma pergunta que tenho sobre o artigo “Onde a ‘Grande Multidão’ Presta Serviço Sagrado?”, na Sentinela de 15 de agosto de 1980 [15 de fevereiro de 1981, em português], especificamente os parágrafos 4 e 5 e as frases do quadro-resumo na parte inferior da página 15.

Eu venho tentando localizar quais são exatamente os textos a que se referem várias frases. Posso ver que o primeiro ponto refere-se a João 2:20 e o quarto a Mateus 27:5, mas não pude encontrar onde se usa a palavra naós do modo descrito nos pontos 2 e 3. Examinando a Emphatic Diaglott e a Tradução Interlinear, percebi que em Mateus 24:1, Marcos 13:1 e 3, e Lucas 21:5, textos nos quais Jesus profetizou sobre a destruição de Jerusalém e de seu templo, a palavra usada é hierón. O mesmo vale no caso de Mateus 21:12, Marcos 11:15, Lucas 19:45 e João 2:14, 15, onde se relata a expulsão dos cambistas do templo por Jesus. Examinei o livro Ajuda e percebi que hierón é também usado com referência ao templo, e estou um tanto confusa pelo uso da palavra naós no parágrafo 4 da Sentinela, uma vez que não pude encontrá-la em parte alguma nas situações que o parágrafo descreve. Provavelmente estou despercebendo alguma coisa ou estou entendendo errado, por isso apreciaria a ajuda dos irmãos nesta área.

Poderiam os irmãos dizer a que pontos bíblicos se referem a segunda e terceira frases do quadro-resumo, a saber: “Foi o templo (naós) inteiro que foi destruído como julgamento da parte de Deus.”, e “Foi dos pátios do templo (naós) exterior que Jesus expulsou os cambistas.”? Eu realmente apreciaria uma resposta, tão logo isso seja possível, pois tenho pesquisado a fundo este assunto e estou ansiosa para chegar de fato a um “entendimento exato” disso. Sei que os irmãos são ocupados, mas agradeço-lhes de antemão por sua resposta em tempo hábil.

Muitíssimo obrigada por sua ajuda neste assunto.

 

Sua irmã,

XXXXXXXXX 

P.S. No caso de Revelação 11:2, é amplamente reconhecido pelos eruditos bíblicos (por exemplo, A Nova Bíblia Americana) que o “pátio que está fora do templo” (naós) refere-se ao pátio dos gentios no templo de Herodes. Se este é o caso, seria apropriado usar este texto em apoio da ideia de que a grande multidão serve no “pátio dos gentios” antitípico?

 

 

Tradução da resposta:

Prezada irmã, XXXXXXXXX

Sua carta de 6 de abril de 1981 foi agora considerada. A irmã escreveu referente a um ponto abrangido na Sentinela de 15 de agosto de 1980 [15 de fevereiro de 1981, em português], página 15, parágrafo 4.

Sua pergunta é compreensível, uma vez que, conforme a irmã diz, o apóstolo João, ao relatar a expulsão dos cambistas e comerciantes do templo de Herodes, usou a palavra grega hierón. Deve-se lembrar que quando o artigo se refere ao “relato bíblico sobre Jesus Cristo expulsar cambistas e comerciantes do templo de Herodes” este relato abrange não apenas os versículos 13 a 17 do capítulo dois, mas também os versículos 18 a 22. É por isso que o artigo prossegue dizendo: “Lemos ali [isto é, no relato completo]: ‘Jesus lhes respondeu: Destruí este santuário [naós], e em três dias o reconstruirei. Replicaram os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este santuário [naós], e tu, em três dias, o levantarás? Ele, porém, se referia ao santuário [naós] do seu corpo.’” Daí, os versículos 19 a 21 foram citados.

Reconhecemos que o modo como o parágrafo está redigido poderia induzir alguém a concluir que a palavra naós foi usada nos versículos 13 a 17. Para evitar dar esta impressão, o ponto 3 do quadro-resumo que aparece na parte inferior da página 15 foi eliminado na tradução deste artigo para idiomas estrangeiros de A Sentinela. Agradecemos por seus comentários sobre o artigo de modo geral. Conforme a irmã reconhece em sua carta, hierón é usado com mais freqüência quando se faz referência ao complexo inteiro do templo, mas é evidente que à base do modo como os judeus responderam a Jesus e com base em outras referências, nos tempos bíblicos não havia qualquer problema em se aplicar a palavra naós à área completa do templo e não apenas ao santuário.

Com respeito à sua última pergunta, o Pátio dos Gentios é um dos pátios exteriores, conforme se mostra na ilustração da página 1607 do livro Ajuda. Ele seria uma parte da área completa do templo, à qual às vezes se aplicava a palavra naós e representaria ou prefiguraria de maneira apropriada o local onde a grande multidão serve, conforme se declara em Revelação 7:15.

Esperamos que os comentários acima lhe sejam de ajuda, e enviamos nossas saudações cordiais.

 

Seus irmãos,

 

Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados

de Nova Iorque, Inc.

 

 

 

 

As fotocópias que seguem, referem-se às páginas 134, 136, 138 e 289 do livro O Mistério Consumado (edição de 1917 em inglês). Os trechos sublinhados [cuja tradução em português aparece sob cada fotocópia] mostram que naquela época a “grande multidão” (ou “Grande Companhia”, como era então chamada), era identificada com o grupo descrito em Revelação 19:1 pela expressão “numerosa multidão no céu” (A Bíblia de Jerusalém). Ensina-se neste livro que há quatro classes que por fim receberão a salvação – duas celestiais e duas terrestres. Entendia-se que os da “Grande Companhia” constituíam uma classe celestial secundária que atingia a “perfeição num plano espiritual inferior” ao dos 144.000.

 

 


 

 

Depois disto, eu vi, e eis, uma grande multidão.-

 

pode-se ganhar uma recompensa celestial que não é tão plena como o caminho mais agradável que se busca até o Pai Celestial

 

as Escrituras apresentam dois graus ou tipos de salvação celestial, e dois graus ou tipos de salvação terrestre.

 

A classe da Grande Companhia dirá “Aleluia” logo que se der conta de que a Igreja está completa.(Rev. 19:1;

 

conduzirá estes a uma bênção espiritual – à perfeição num plano espiritual inferior –

 

7:10. E [clamavam] ELES CLAMAM com voz alta. – Em grandioso e alegre coro de exultante louvor e agradeci-mento por sua libertação final. – Rev. 19:1-3.

 

E ouvi ALGO COMO uma voz alta de muitas pessoas – A Grande Companhia. – Rev. 7:10.

 

PROSSEGUIR NO FOLHETO "GRANDE MULTIDÃO"
ou
IR PARA A LISTA DE ARTIGOS