Onde a "Grande Multidão" Serve a Deus?

 

Referências e Prefácio
 

1.      João 4:24

2.      Mateus 7:7

3.      1 Tessalonicenses 5:21

4.      1 João 4:1

5.      Atos 17:11

6.      Novo Dicionário de Citações Sobre os Princípios Históricos de Fontes Antigas e Modernas (em inglês – Nova Iorque, Alfred A. Knopf, 1942), pág. 378. (Terceira citação da página)

7.      Tradução Interlinear do Reino das Escrituras Gregas (edição de 1985 em inglês), pág. 1080. (Observe a expressão “habitação divina”, correspondente à palavra grega naós [naó, nesta ocorrência, pois está no caso dativo] na tradução literal sob o texto grego em Revelação 7:15.)

8.      A Sentinela de 15 de fevereiro de 1981, págs. 14-20 (Observe especificamente o quadro-resumo na parte inferior da página 15).

9.      Hebreus 8:5; 9:11, 12, 23, 24; Revelação 11:19; 14:15, 17; 15:5, 6, 8; 16:1, 17

10.  Mateus 21:12, Marcos 11:15, Lucas 19:45, João 2:14, 15. (Observe que na Tradução Interlinear do Reino das Escrituras Gregas não aparece a expressão “habitação divina”, correspondente à palavra grega naós, e sim a palavra “templo”, que corresponde à palavra grega hierón).

11.  Dicionário Expositivo das Palavras do Novo Testamento de Vine (Décima-sétima edição em inglês, 1966), pág. 115 (Observe a definição da palavra HIERÓN.).

12.  A Sentinela de 15 de agosto de 1960 [em inglês], pág. 493.

13.  Mateus 24:1, 2; Marcos 13:1-3 e Lucas 21:5, 6. (Observe que na Tradução Interlinear do Reino das Escrituras Gregas a palavra que se usa é hierón, não naós.).

14.  Mateus 27:5. (A Tradução Interlinear do Reino das Escrituras Gregas mostra que a palavra grega naós [na forma acusativa naón] ou “habitação divina” aparece neste versículo.).

15.  Léxico Greco-Inglês de Thayer (em inglês - Harper & Brothers, 1889), pág. 422. (Observe a definição da palavra naós)

16.  Bíblia Âncora, de W. F. Albright e C. S. Mann (em inglês - Doubleday & Co., copyright 1971). Observe que se usa a palavra “toward” [“para”; “em direção a”] na tradução de Mateus 27:5.

17.  A Interpretação do Evangelho de S. Mateus, de R.C.H. Lenski (em inglês - Casa Publicadora Augsburg, copyright 1961) págs. 1079 e 1080. (Veja os comentários referentes a Mateus 27:5).

18.  A Vida e as Obras de Flávio Josefo, traduzido por William Whiston. (em inglês - Holt, Rinehart e Winston, Nova Iorque) Antiguidades Judaicas, Livro XV, Capítulo XI, seções 5 e 6.

19.  Estudo Perspicaz das Escrituras, Volume 3, pág. 681. (Observe o segundo parágrafo, debaixo da seção intitulada “O Templo Reconstruído por Herodes” ou veja o mesmo parágrafo na página 1606 do livro Ajuda ao Entendimento da Bíblia [Volume 4 em português]).

20.  Der Temple Von Jerusalem, de Th. A. Busink (Leiden, E. J. Brill, 1980), pág. 1081. Esta obra comenta sobre o uso que Josefo faz da palavra naós para incluir “todo o santuário interior”.

21.  Dicionário Bíblico do Intérprete (em inglês - copyright 1962), pág. 551, parágrafos 1-3, sob o tópico “Citações de Josefo”, e pág. 552, parágrafo 4.

22.  Antiguidades Judaicas, Livro XV, Capítulo XI, seção 3.

23.  Estudo Perspicaz das Escrituras, Volume 1, pág. 483. (Referência ao período de governo de Nero, de 54 E.C. a 68 E.C.)

24.  A Vida e as Obras de Flávio Josefo, traduzido por William Whiston. Guerras Judaicas, Livro V, Capítulo I, seção 5. (em inglês - Observe também a segunda nota de rodapé na parte inferior da página 774.)

25.  João 2:20 na Bíblia de Estudo de Genebra, Bíblia Alfalit, Versão Almeida Revista e Atualizada, bem como nas seguintes versões em inglês: A Bíblia de Jerusalém, Uma Tradução Americana, de Goodspeed e Smith, Tradução Literal de Young e as traduções de Moffatt e Lenski. (Observe que todas estas traduções usam a palavra “santuário” neste versículo.)

26.  Aspectos Cronológicos da Vida de Cristo, de Harold W. Hoehner (em inglês - Casa Publicadora Zondervan, Grand Rapids, MI, 1977), página 42

27.  Manual de Cronologia Bíblica, de Jack Finegan (em inglês – Editora da Universidade de Princeton, 1964), págs. 279 e 280

28.  Aspectos Cronológicos da Vida de Cristo, de Harold W. Hoehner (em inglês - Casa Publicadora Zondervan, Grand Rapids, MI, 1977), página 41

29.  Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento (edição de 1986 em inglês), Volume 3, pág. 784. (Veja a definição de naós)

30.  Cumprir-se-á Então o Mistério de Deus (Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, publicado em português em 1971), págs. 259 e 260. (Observe os comentários sobre naós na consideração de Revelação 11:2.)

31.  A Sentinela de 1º de julho de 1973, pág. 402, parágrafo 22. A Sentinela de 1º de julho de 1996, página 20, parágrafo 4.

32.  Revelação 11:2. Observe que traduções tais como a Almeida Atualizada, Centro Bíblico Católico, Nova Versão Internacional, Nova Bíblia Inglesa, Versão Rei Jaime e a de James Moffatt [sendo as três últimas em inglês] usam a palavra “gentios” quando falam sobre o pátio exterior do templo.

33.  Notas de Barnes Sobre o Novo Testamento (Décima edição em inglês, 1978), pág. 1643. (Veja os comentários sobre Revelação 11:2.)

34.  Comentários ao Novo Testamento de Tyndale, comentário sobre A Revelação de São João, de Leon Morris (edição de 1979 em inglês), pág. 146 (Comentários sobre Revelação 11:2.)

35.  A Interpretação da Revelação de S. João, de R.C.H. Lenski (em inglês - Casa Publicadora Augsburg, Mineápolis, Minessota, copyright, 1961), pág. 330, parágrafo 1.

36.  Luz - Livro Um, de J. F. Rutherford (em inglês - Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, 1930), pág. 189, parágrafo 1.

37.  Revelação 22: 18, 19.

38.  O Mistério Consumado (em inglês - Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, 1924), pág. 289. (Observe que a “Grande Companhia” de Rev. 7:10 é associada com o grupo celestial de Rev. 19:1.)

39.  Revelação 7:9 (Compare com Revelação 5: 9, 10 e observe que ambos os grupos são provenientes de todas as tribos e povos e línguas).

40.  Revelação 7: 9, 15 (Compare com Revelação 1:4; 4:5, 6, 10; 7:11; 8:3; 9:13; 11:16; 14:3 e considere como a expressão “diante do trono” é esclarecida por estes versículos. Note também que os comentários que se fazem sobre esta expressão na página 123 do livro Revelação – Seu Grandioso Clímax Está Próximo! não levam em conta a maneira como o termo “diante” [enópion] é usado no contexto ao longo do livro de Revelação.)

41.  Revelação 7:9 (Compare com Revelação 5:8 e observe a expressão “diante do Cordeiro”, que ocorre nos dois textos.)

42.  Revelação 7:9 (Compare com Revelação 3:4, 18; 4:4; 6:11 e observe as referências a estarem trajados de roupas brancas.)

43.  Revelação 7:10 (Compare com Revelação 19:1 e observe que esta “grande multidão” [NM] também atribui a salvação a Deus.)

44.  Revelação 7:14 (Compare com 1 Pedro 1:2, 18, 19; 1 Coríntios 6:11; Revelação 22:14; 1 João 1:7; Efésios 2:13. Observe quem é purificado pelo sangue do Cordeiro.)

45.  Revelação 7:4-8. Observe que os comentários que se fazem sobre estes versículos nas páginas 117 e 118 do livro Revelação – Seu Grandioso Clímax Está Próximo! estabelecem que isto não se refere ao “Israel literal, carnal”. A ideia de que os grupos de 12.000 não são literais, indicaria que a soma deles (144.000) não é literal.

46.  Revelação 22:18, 19

47.  Comentário Bíblico do Expositor, editado por Frank E. Gaebelein e J. D. Douglas (em inglês – Casa Publicadora Zondervan, 1984), “Notas” da página 566.

 

Prefácio

 

A Bíblia ensina que os cristãos devem adorar a Deus “com espírito e verdade” (João 4:24) Ela indica também que a busca da verdade deve ser um processo constante, contínuo, que nunca termina no decorrer da vida do crente. Jesus ensinou seus seguidores a ‘persistir em pedir,... persistir em buscar, ... persistir em bater.’ (Mateus 7:7, Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas) Paulo escreveu em 1 Tessalonicenses 5:21 que nos deveríamos ‘certificar de todas as coisas; apegando-nos ao que é excelente.’ João nos incentiva a ‘provar as expressões inspiradas para ver se se originam de Deus’ (1 João 4:1) E os bereanos foram elogiados em Atos 17:11 porque ‘examinavam cuidadosamente as Escrituras, cada dia, quanto a se [as coisas ditas por Paulo e Silas] eram assim.’

Infelizmente, muitos confundem a fé cristã com a aceitação sem questionamento das idéias ensinadas pela organização religiosa à qual pertencem. Esta posição tem sido até mesmo louvada por líderes religiosos como sendo a atitude apropriada. Por exemplo, em 1541, “Santo” Inácio de Loiola, fundador da ordem religiosa católica romana conhecida como Jesuítas, escreveu na obra Exercitia spiritualia (Exercícios Espirituais):

 

Devemos estar sempre dispostos a acreditar que aquilo que nos parece ser branco é na verdade preto, se a hierarquia da Igreja assim o decidir.

 

A posse da genuína fé cristã, todavia, não significa chegar a um ponto na vida em que você não mais questiona a validade de seus conceitos religiosos atuais. Ela é, em vez disso, uma convicção interior de que, não importa quantas perguntas surjam, não importa quanto ‘busquemos’, ‘batamos’, ‘provemos’ e ‘examinemos’, a base essencial de nossa fé será sempre fortalecida, nunca enfraquecida. (Compare com Hebreus 11:1 na Tradução do Novo Mundo onde a fé é definida como “a expectativa certa de coisas esperadas.” [Ênfase acrescentada.])

Ao passo que este tratado aborda partes da Bíblia que são usualmente entendidas como tendo relação com a questão de onde a humanidade remida usufruirá sua recompensa eterna, não se pretende estabelecer a resposta a esta questão de maneira definitiva. Em vez disso, a discussão se limita estritamente ao aspecto da localização da “grande multidão” descrita em Revelação 7:9-17, que pode ou não ter relevância no futuro da terra, dentro do grande plano de Deus para a bênção dos fiéis. O objetivo primário da matéria que segue é, portanto, examinar os métodos de interpretação bíblica usados pela organização Torre de Vigia em suas explicações destes textos, dando ao leitor uma oportunidade de determinar se estas explicações estão de acordo com os princípios de erudição bíblica sólida e honesta.

Cremos que esta informação será de ajuda para aqueles que não fecharem a mente diante deste assunto, reconhecendo sua obrigação cristã de “persistir em buscar”.

 

Pagina 1080 da publicação da Torre de Vigia intitulada Tradução Interlinear do Reino das Escrituras Gregas (edição de 1985 em inglês). Observe a palavra destacada naós (no caso, naó, pois está no dativo) traduzida pela expressão “habitação divina” na tradução literal de Revelação 7:15. É neste local que a Bíblia ensina que a “grande multidão” serve a Deus.

 

(Nota ao Leitor: No grego bíblico, as terminações dos substantivos, mudam de acordo com o caso. Um substantivo masculino singular da segunda declinação pode aparecer com as terminações -os, -on, -o, -on, ou -e, conforme ele esteja nos casos nominativo, genitivo, dativo, acusativo e vocativo, respectivamente. Em Revelação 7:15, naós está no caso dativo [expressando localização], aparecendo dessa maneira como naó. Porém, a forma nominativa geral desta palavra é naós.)

 

PROSSEGUIR NO FOLHETO "GRANDE MULTIDÃO"
ou
IR PARA A LISTA DE ARTIGOS