O Significado da 'Irmandade' Cristã

 

Quando lemos o livro bíblico de Atos e as cartas apostólicas vemos uma expressão que aparece com certa frequência: “os irmãos”. Parece que a relação entre os primeiros discípulos de Jesus era a que ele os encorajou a terem: “um só é o mestre de vocês, e todos vocês são irmãos” (Mateus 23:8).

Eles compartilhavam a fé e a esperança, mas também se ajudavam em amor. O termo “irmão” não era só um rótulo artificial. Era sincero. Isso era sentido e vivido. De nada vale chamar alguém de “irmão” se não é o coração que fala isso. Um irmão é aquele que está lá o tempo todo, mesmo quando vem a tribulação, pois é ele que procura o seu bem e é uma ajuda em todos os momentos.

Usar a palavra “irmão” por simplesmente pertencer à mesma instituição pode se tornar um anacronismo artificial, se por trás disso não há qualquer verdade ou sinceridade. Isso seria o mesmo que usar a palavra “camarada” na Rússia de Stalin, ‘camaradagem’ essa que desaparecia ante a menor divergência de opinião. A uniformidade doutrinal não torna os homens mais ‘irmãos’. É a solidariedade genuína e a busca do bem comum que faz isso.

Paulo de Tarso entendeu muito bem o espírito de Jesus de Nazaré, quando escreveu em Romanos 12:10 (é interessante observarmos como isso é expresso em diferentes versões):

“Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.” (Almeida Revisada e Corrigida Fiel)

“Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios.” (Nova Versão Internacional)

“Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito.” (Nova Tradução na Linguagem de Hoje)

“Amai-vos mutuamente com afeição terna e fraternal. Adiantai-vos em honrar uns aos outros.” (Centro Bíblico Católico)

“Em amor fraternal, tende terna afeição uns para com os outros. Tomai a dianteira em dar honra uns aos outros.” (Tradução do Novo Mundo)

“Em amor fraternal sede afeiçoados ternamente uns aos outros; na honra dê cada um de vós preferência aos outros.” (Sociedade Bíblica Britânica)

O que prevalece aqui é a honra que se deve dar uns aos outros como resultado de um amor sincero. A razão era bem óbvia: todos haviam aceitado Jesus, nutriam a mesma esperança e de uma forma ou de outra sofriam por essa fé. Só era de se esperar que ‘tomassem a dianteira’ em honrar uns aos outros. Os ataques pessoais, a atribuição de más motivações e as amargas disputas teológicas deveriam ficar fora disso. Naquele momento todos viam como que por meio dum espelho de metal, mas sabiam que chegaria um momento em que eles poderiam ver face a face. Até lá, só haveria de permanecer a fé, a esperança e o amor. Eles só eram irmãos de verdade, quando se ajudavam mutuamente e mostravam com carinho a honra devida.

“Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a praticam.” (Jesus de Nazaré, em Lucas 8:21, Nova Versão Internacional)

“Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” (Paulo de Tarso, em Romanos 8:29,  Nova Versão Internacional)

Esteban López