"O Centro da Teocracia na Terra"


A Sentinela de 15 de janeiro de 1994

A Sentinela de 1º de outubro de 1987 apresenta na página 10 uma excelente imagem ilustrativa de como a liderança da Torre de Vigia encara sua própria organização: 

O título do artigo de estudo onde aparece esta imagem é "Está Satisfeito com as Provisões Espirituais de Jeová?" Nesta foto, a sede mundial da Torre de Vigia (Brooklyn, Nova Iorque, EUA) é retratada como estando, simbolicamente, nas mãos do próprio Deus. De lá, Ele transmite o “alimento espiritual” – contido nas publicações da Torre de Vigia – para as Testemunhas de Jeová em seus Salões do Reino. As Testemunhas, por sua vez, distribuem estas literaturas para o público em seu trabalho de pregação de porta em porta. Na mesma página 10 lemos: 

“SE VOCÊ parar de respirar, morrerá em poucos minutos. Se deixar de beber água, morrerá em poucos dias. Se parar de comer, morrerá em poucas semanas. Se parar de alimentar-se das provisões espirituais de Jeová, então, quando morrer, morrerá para sempre.”

Isto equivale a dizer que se uma pessoa não se alimentar espiritualmente nas publicações da Torre de Vigia, ela morrerá para sempre!

A palavra teocracia significa “governo de Deus”. Se uma pessoa se apresentar perante outros dizendo que recebeu autoridade de Deus para exercer seu domínio sobre a terra inteira, dificilmente muitos levariam essa pessoa a sério. O mais provável seria os parentes ou amigos tentarem ajudá-la, talvez recorrendo a alguma instituição na qual ela poderia receber tratamento psicológico para essas ilusões. Megalomania – a mania de grandeza – é como alguns chamariam esse tipo de transtorno mental.

Mas suponhamos que não apenas uma, e sim dezenas de pessoas surgissem afirmando que receberam autoridade celestial para exercerem o governo de Deus na Terra. Poderia existir um grupo assim? Haveria alguma possibilidade de muita gente acreditar na afirmação desse grupo, e sem jamais questionar a sanidade mental das pessoas que o compõem?

Por incrível que pareça à primeira vista, a resposta às duas perguntas acima é Sim! Esse grupo não só existe, como também conseguiu convencer milhões de que recebeu autoridade divina para governá-los. Quem são essas pessoas?

São os identificados na revista A Sentinela de 15 de janeiro de 1994. As páginas 16 e 17 desta revista fazem referência à parábola de Jesus em Mateus. 24:45-47 sobre um “escravo fiel e discreto” (ou “servo fiel e prudente”, conforme algumas versões bíblicas). Apresentando o entendimento peculiar que a organização religiosa produtora da revista tem desta parábola, ela diz: 

“No passado, Jeová governava e revelava verdades por meio de pessoas, tais como profetas, reis e apóstolos. Hoje em dia, não é mais assim; não há profetas ou apóstolos inspirados. Em vez disso, Jesus disse que, durante a sua presença régia, ele identificaria um corpo fiel de seguidores, um “escravo fiel e discreto”, e o designaria sobre todos os seus bens. (Mateus 24:45-47; Isaías 43:10) Em 1919, este escravo foi identificado como o restante dos cristãos ungidos. Desde então, conforme representado pelo Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, ele tem sido o centro da teocracia na Terra. O Corpo Governante, em todo o mundo, é representado por Comissões de Filial, superintendentes viajantes e anciãos congregacionais.” (Sublinhado acrescentado.) 

Assim, os homens que compõem o “Corpo Governante das Testemunhas de Jeová” são identificados aqui como nada menos que “o centro da teocracia na terra”! Em palavras simples, este grupo afirma ter recebido autoridade divina para exercer seu domínio sobre a humanidade!

Esta alegação é tão espantosa que pode parecer incrível que existam milhões de pessoas na Terra que acreditam nela piamente. Como é possível que tantas pessoas no mundo sejam induzidas a acreditar numa idéia assim?

A resposta pode residir na idéia de que em se tratando duma fraude extremamente grave, as pessoas achariam difícil de acreditar que alguém possa mentir de maneira tão deslavada. Adolf Hitler certa vez expressou a idéia de que as pessoas são mais propensas a acreditar em mentiras graves do que em pequenas mentiras. Ao considerar essa questão, Hitler escreveu em seu famoso livro Mein Kampf (Minha Luta): 

“Resulta da própria natureza das coisas que quanto maior for a mentira, maior é a possibilidade de que se acredite nela, pois a massa popular, nos seus mais profundos sentimentos, não sendo má de forma consciente e deliberada, é menos corrompida e, devido à simplicidade do seu caráter, é com mais freqüência vítima de grandes mentiras do que de pequenas. Em coisas pequenas o povo também mente, enquanto que das grandes mentiras ele se envergonha. Uma grande mentira nunca lhe passaria pela cabeça e também não acreditaria que outros sejam capazes de uma mentira tão descarada.”

Independentemente do grau de validade da teoria desse odioso líder nazista, bem como dos motivos que o levaram a fazer estas afirmações, o conselho apostólico expresso no texto abaixo é digno da mais séria reflexão para qualquer cristão, e não há dúvida alguma de que a atenção às palavras dele impossibilitaria que alguém fizesse uma afirmação tão absurda como a da Sentinela citada acima: 

“Pois pela graça que me foi dada digo a todos vocês: ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, pelo contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe concedeu." - Romanos 12:3 (Nova Versão Internacional, grifo acrescentado)”