Árvores de Natal e o Papai Noel

Inglês

Ao expressar os pensamentos que seguem sobre o assunto, não é minha intenção julgar o que outros fazem. Isso é entre o cristão e Deus. Todavia, sinto-me compelido a dizer as palavras abaixo, pois sinto que este é um assunto sério, digno de consideração de cada cristão.

Na época do Natal a maioria dos cristãos decora suas casas para este feriado. A principal dessas decorações é a árvore de Natal. Comparemos isso com o que disse Jeremias 10:1-4:

“Escutai, casa de Israel, a palavra que o Senhor vos dirige! Oráculo do Senhor: Não imiteis o procedimento dos pagãos; nem temais os sinais celestes, como os temem os pagãos, porquanto os deuses desses povos são apenas vaidade. São cepos abatidos na floresta, obra trabalhada pelo cinzel do artesão, decorada com prata e ouro. A golpes de martelo são-lhes fixados os pregos e postos em seus lugares para que não se movam.”

Uma árvore é cortada da floresta e decorada, não parece que esse texto está falando da árvore de Natal aqui? Naturalmente, quando Jeremias escreveu estas palavras, não existia Natal, nem árvores de Natal. Em vez disso, em seu escrito ele fazia referência à fabricação dum ídolo. Mas eu ainda encontro uma similaridade nos eventos tratados aqui.

A árvore de Natal se tornou um símbolo importante do feriado e o elemento central das decorações do feriado. Por que isso acontece? O Natal é a celebração do nascimento de Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador. Onde é que os relatos evangélicos de seu nascimento mencionam uma árvore? Pois não é a cena da natividade o símbolo maior e o elemento central do Natal? Que este não é o caso entre os descrentes é bastante compreensível, mas entre os crentes? O cenário da natividade foi substituído nas mentes e corações da maioria das pessoas pela árvore de Natal. É para a árvore de Natal que as crianças, mesmo entre os filhos de cristãos, olham de maneira ansiosa e amorosa. O cenário da natividade foi posto de lado. Ao fazer isso, os cristãos fizeram um ídolo da árvore de Natal.

Os cristãos condenam a comercialização e a secularização do Natal. Mas não é o Papai Noel e as árvores de Natal que vemos banidas nas exibições públicas do Natal, e sim o menino Jesus e o cenário da natividade. Não somos culpados nisso quando nós mesmos idolatramos a árvore? E o nosso pecado não pára por aí. Tiago 1:17 diz: “Toda dádiva boa e todo dom perfeito vêm de cima: descem do Pai das luzes...”. No entanto, ensinamos nossos filhos que os presentes vêm do Papai Noel. Eles aprendem a amar e agradecer a um homem mitológico. Não deveriam nossos filhos aprender a agradecer e amar a Deus e a seus pais pelos bons presentes que recebem? Pode um Deus que odeia a mentira estar satisfeito quando mentimos para nossos filhos e, dessa forma, desviamos a atenção de Deus e de suas expressões de amor?

2 Coríntios 6:16, 17 dá esta instrução:

“Como conciliar o templo de Deus e os ídolos? Porque somos o templo de Deus vivo, como o próprio Deus disse: Eu habitarei e andarei entre eles, e serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Portanto, saí do meio deles e separai-vos, diz o Senhor. Não toqueis no que é impuro, e vos receberei.”

_____________________

Jay Dicken. As citações bíblicas nesta tradução são da versão do Centro Bíblico Católico.