607 AEC ou 587 AEC?

Prefácio

Este tratado foi elaborado, em parte para atender ao pedido de diversos leitores que nos contataram (depois de terem lido os artigos dos números de A Sentinela de outubro e novembro de 2011), e em parte para o benefício das Testemunhas de Jeová convertidas mais recentemente, que talvez não tenham conhecimento dessa discussão que já vem ocorrendo há muitos anos.

As matérias que apareceram nas revistas mencionadas não apresentaram uma única ideia nova. Estas revistas apenas repetiram o que já havia sido apresentado oficialmente em publicações anteriores da Torre de Vigia ou extra-oficialmente por apologistas desta organização. E todos os argumentos destas fontes já haviam sido completamente refutados em anos anteriores.

Embora este folheto repita alguns contra-argumentos apresentados há muito tempo, o que ele faz é, sobretudo, resumir os questionamentos. Para os leitores interessados numa discussão mais aprofundada, ao longo da análise estaremos indicando matérias pertinentes a cada ponto discutido, que se encontram atualmente disponíveis no site Mentes Bereanas.

O espaço nos faltaria se mencionássemos aqui os nomes de todos os que contribuíram para este tratado. Sem os dados levantados por estes pesquisadores – bem como o longo tempo que eles dedicaram à pesquisa, organização e aprimoramento das informações – dificilmente poderíamos tê-lo escrito num intervalo tão curto.

Ao mesmo tempo em que reconhecemos essa dívida para com todas essas pessoas esclarecidas, de vários países do mundo, reservamos o nosso agradecimento principal à Pessoa que realmente o merece: o Deus da verdade. Foi muito gratificante constatar que, em todas as questões mais cruciais, a Palavra dele forneceu os dados que nos permitiram chegar às conclusões corretas. Não temos dúvida de que todo o mérito cabe a Ele, o inspirador dos homens fiéis da antiguidade que assentaram por escrito as informações essenciais para o entendimento deste assunto.

Os Editores.