1 Reis 17:21, 22

“Então se estendeu sobre o menino três vezes, e clamou ao SENHOR, e disse: O SENHOR meu Deus, rogo-te que a alma deste menino torne a entrar nele. E o SENHOR ouviu a voz de Elias; e a alma do menino tornou a entrar nele, e reviveu.” (Almeida Corrigida e Revisada Fiel; “a alma do menino voltou a ele”, Centro Bíblico Católico)

____________

 

Esse texto é usado como argumento para a idéia de que quando o corpo desse menino morreu, a alma imortal saiu dele e foi para o céu.

O problema é que os versículos não dizem estas duas coisas. “Alma imortal” e ‘ida ao céu’ não podem ser lidos aí, e não passam de pressuposições dos defensores da doutrina da imortalidade inerente da alma.

O pronome “ele” (que está embutido na palavra “nele”) refere-se unicamente ao corpo sem vida do menino. Se o verdadeiro menino era a alma imortal habitando num corpo mortal, então o pronome teria de ser usado em referência à alma, não ao corpo. Não foi o menino que partiu, nem foi ele que retornou. Ele morreu quando a vida se foi, e ressuscitou quando a vida lhe foi restaurada.

Se fosse verdade que a alma dele foi para a felicidade celestial, o profeta Elias teria prestado a ele um desserviço, tirando-o do céu e trazendo-o de volta para a vida terrena (e talvez até para um posterior envio ao “inferno de fogo”, como crêem alguns).

A maneira como outras versões bíblicas traduzem estes dois versículos deixa as idéias acima bem claras. Essas versões usam livremente o termo “vida” de maneira intercambiável com a palavra “alma” (sendo estas duas palavras traduções do termo hebraico nephesh):

“Então ele se deitou sobre o menino três vezes e clamou ao Senhor: "Ó Senhor, meu Deus, faze voltar a vida a este menino!O Senhor ouviu o clamor de Elias, e a vida voltou ao menino, e ele viveu. (Nova Versão Internacional)

“Estendeu-se em seguida sobre o menino por três vezes, invocando de novo o Senhor: Senhor, meu Deus, rogo-vos que a alma deste menino volte a ele. O Senhor ouviu a oração de Elias: a alma do menino voltou a ele, e ele recuperou a vida.” (Centro Bíblico Católico)